Conecte-se Aprenda Finança

CAPACITAÇÃO

Cross-Border E-Commerce: a porta de entrada mais rápida para vender na China

Nos últimos anos, o maior mercado de consumo do mundo começou a ter uma forte demanda por produtos Premium importados, visto que são percebidos como de melhor qualidade e segurança do que os de marcas chinesas. Diferentemente das tendências globais em que constantemente se busca comprar produtos locais, na China ocorreu o contrário.

Compartilhe este artigo

Publicado por Litao

Essa mudança de preferência se deu em resultado aos escândalos com produtos falsos e pela crise de alimentos contaminados que ocorreram no passado. Os consumidores chineses começaram a trazer um grande volume de produtos em suas malas de viagem, como fórmula de leite para bebês, produtos de beleza, itens de luxo e alimentos saudáveis ​​das suas viagens ao exterior. Posteriormente, vendiam esses produtos aos seus amigos através de plataformas de e-commerce.

Este mercado informal de produtos importados superou 40 bilhões de dólares em 2018

Os produtos que entravam no país geralmente eram difíceis de serem encontrados na China, ou então, eram mais caros no exterior devido aos impostos e leis de importação. Compreendendo que essa nova demanda dos consumidos era imparável, o governo chinês decidiu implementar uma nova lei no e-commerce, que entrou em vigor em janeiro de 2019, com a finalidade de regular as importações informais e garantir a qualidade dos produtos que entram no país.

Com a nova lei no e-commerce, foi lançada uma lista com 1.300 classificações tarifárias autorizadas para serem importadas com tarifas preferenciais e com regulamentações simplificadas. Os produtos importados sob esse sistema, só podem ser vendidos em plataformas especiais de cross-border e-commerce na China.

Qual é o tamanho do e-commerce na China? Segundo e-marketer, estima-se que até 2023 mais de 63% do total de vendas no varejo na China sejam feitas por meio do comércio eletrônico. Hoje, as vendas através do e-commerce na China representam mais de 40% das vendas globais do comércio eletrônico, o que corresponde a mais do que as vendas de e-commerce nos Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, França e Japão, combinadas.

Ao vender através do cross-border e-commerce, as marcas podem chegar diretamente aos consumidores chineses sem precisar de intermediários.

Alguns dos principais benefícios de vender sob esse sistema em comparação com as importações tradicionais são:

  1. Processo de importação simplificado
  2. Margens de vendas mais altas na China
  3. Possibilidade de obter feedback em primeira mão e dados de desempenho do produto
  4. Comunicar a mensagem da marca diretamente aos consumidores
  5. Alcançar um bilhão de pessoas o mais rápido possível

Exportar para a China está se tornando cada vez mais simples, e as marcas latino-americanas podem se beneficiar disso, usando o sistema de cross-border e-commerce como etapa inicial para testar seus produtos no mercado. O que ajudará as marcas latino-americanas a obter um crescimento sustentável será chegar até as preferências dos consumidores chineses através de histórias interessantes e atrativas para poder vender.

* Para receber a lista de classificações tarifárias autorizadas traduzidas para o espanhol, convidamos você a entrar em contato diretamente com Litao

Compartilhe este artigo

{{'LOADING_COMMENTS' | translate}}...
{{'NO_COMMENTS_YET' | translate}}
{{'TO_POST_A_COMMENT' | translate}}

Outros usuários também viram


Carregando...

Entre na ConnectAmericas

Ao criar um perfil na ConnectAmericas, você aceita os Termos e condições e Política de privacidade da Plataforma.

Insira o e-mail com o qual você se cadastrou
na ConnectAmericas para criar
uma nova senha.