Conecte-se Aprenda Finança

FINANÇAS

Características e principais agentes do sistema financeiro uruguaio

Em 2012, o volume de negócios do sistema bancário uruguaio aumentou 13,4% em relação ao ano anterior. Este aumento foi acompanhado pela melhora dos resultados contábeis, onde foi registrado um resultado global de US$ 297.

Compartilhe este artigo

Publicado por URUGUAY XXI

O Instituto Uruguay XXI elaborou um relatório completo sobre o sistema financeiro uruguaio, onde são apresentadas as suas principais características, o mercado de valores e os principais agentes. De acordo com o documento, o Uruguai apresenta um sistema financeiro estável, transparente, altamente regulamentado e fiscalizado. Sua estabilidade é produto da liquidez e da solvência do seu mercado financeiro. Não há limitações quanto à saída ou entrada de capitais, nem mesmo controle de câmbios sobre operações em moeda estrangeira. 

Por sua vez, o sistema financeiro uruguaio evoluiu para uma forte desdolarização e um aumento da participação dos depositantes nacionais na última década. Isto implica em uma confiança crescente nos depósitos em moeda nacional. 

Além disso, o mercado financeiro é caracterizado pelo seu elevado grau de concentração. Ao longo da história, o banco oficial conquistou uma participação de mercado superior a 30% do volume de negócios total do setor bancário, sendo que hoje ele já superou 50%. A concentração no setor privado também é elevada: quatro das principais instituições bancárias privadas possuem um volume de negócios superior a 75%. Tal situação foi fortalecida por uma série de fusões e aquisições.

Um mercado em desenvolvimento

O mercado de valores uruguaio vive um crescimento contínuo desde o ano de 2006. Entretanto, ele ainda é um setor pouco desenvolvido em comparação com outros mercados da região. Outra característica do mercado de ações do Uruguai é que a proporção do mercado primário, no qual os ativos financeiros negociados foram criados recentemente, é maior que a do mercado secundário, cujas transações de valores são posteriores à sua emissão. Em janeiro de 2013, as transações realizadas na Bolsa de Valores de Montevidéu alcançaram US$ 81,2 milhões, dos quais US$ 45,5 milhões (56%) correspondem ao mercado primário e US$ 35,7 milhões (44%), ao secundário. 

No Uruguai, o mercado de valores é composto pela Bolsa de Valores de Montevidéu (BVM) e pela Bolsa Eletrônica de Valores (Bevsa). A diferença entre eles é que na BVM são cotados valores diversificados e importantes, destacando-se os títulos públicos, tais como: Bônus do Tesouro, Letras do Tesouro e Bônus Previdenciários. Em contrapartida, a Bevsa é de uso exclusivo dos bancos e demais instituições financeiras. Ela dedica-se não apenas ao mercado de valores, mas também opera no mercado de câmbios e de dinheiro (empréstimos bancários).

Principais agentes

O sistema financeiro uruguaio é composto por dois bancos públicos (Banco de la República Oriental del Uruguay - BROU e o Banco Hipotecario del Uruguay - BHU), onze bancos prvados e uma ampla variedade de instituições não bancárias que vêm se consolidando no país por conta dos seus bons resultados econômicos, tanto na economia real como no sistema financeiro.

As instituição são formadas por: Cooperativas de Intermediação Financeira, Casas de Finanças, Instituições Financeiras Externas (banco Off Shore), Empresas Administradoras de Grupo de Poupança Prévia, Empresas Administradoras de Crédito e Casas de Câmbio. 

O sistema financeiro é regulado e fiscalizado pelo Banco Central do Uruguai (BCU), por meio da Superintendência de Serviços Financeiros (SSF) e da Central de Riscos.

Compartilhe este artigo

{{'LOADING_COMMENTS' | translate}}...
{{'NO_COMMENTS_YET' | translate}}
{{'TO_POST_A_COMMENT' | translate}}

Outros usuários também viram


Carregando...

Entre na ConnectAmericas

Ao criar um perfil na ConnectAmericas, você aceita os Termos e condições e Política de privacidade da Plataforma.

Insira o e-mail com o qual você se cadastrou
na ConnectAmericas para criar
uma nova senha.