Conecte-se Aprenda Finança

EMPREENDIMENTOS

As cinco maiores mentiras dos empreendedores

Por Isabelle Chaquiriand, Diretora da Xcala.

Compartilhe este artigo

Publicado por Xcala

Nada pior do que ir em uma loja e escutar "você está divina", quando se sabe que não está. Ou que o agente imobiliário para mostrar-lhe um condomínio, pequeno ou sem garagem, afirma "é uma casa com muitas possibilidades"; especialmente quando se pediu uma casa com jardim e churrasqueira. Essas mentiras típicas que vivemos no dia a dia, nos irrita tanto quanto  investidores ficam chateados quando um empreendedor apaixonado não vê a realidade de seu projeto. Estar apaixonado é um problema, especialmente se o investidor acredita que a paixão é uma linha para obter os seus ganhos. Para o lucro ou para diversão, convido você para conhecer as cinco maiores mentiras dos empreendedores. 

  1. "Nossas projeções são conservadoras." Uma de minhas favoritas. Se eu tivesse R$ 10 para cada vez que a ouvisse, teria o meu próprio fundo de investimento. A expectativa de cada empresário é que esta frase gere a imagem de investidor prudente, mas pode ser o oposto.  Pode apenas gerar pouca garantia na imprecisão das suposições ( "se conservadora, por que não é realista e começa a falar sobre o projeto em sua dimensão correta?" "Por que não são incentivados a mostrar o cenário base ?, não tem certeza do alcance? Ou não não tem certeza do mercado? "), esta afirmação pode ser um erro conceitual gigante. Um erro do tamanho de um pequeno  projeto ou pode ser tão ou mais grave do que se possa prever. A subdemanda de um produto ou serviço pode ser prejudicial em qualquer projeto, principalmente em um que está apenas começando,  em setores importantes como as necessidades de caixa operacional e estrutura. Portanto, tente ser realista e mostre o mais próximo possível à sua estimativa.
  2. "Ativando o que está pendente". Como investidor é tentador responder "Volte quando estiver pronto". Muitos projetos são baseados no que definimos como "critérios mínimos"; ou seja, um passo, ou um fato, que permite que o resto do projeto possa ir em frente. Sem ele, o projeto não é viável. Um edifício precisa de licença para operar ou contratar "o" técnico conhecedor da área. Muitas vezes esse marco não é tão óbvio para começar, quanto menos óbvio, mais sujeito estará a procura de investidores. Isto é importante para a segurança dos investidores que o projeto é realmente viável, mas representa uma grande  barreira (se não a principal) de entrada no mercado. Por isso, eles precisam ter alguma segurança a longo prazo do seu investimento.
  3. "Nós não temos concorrência". Se assim for, então existem duas possibilidades. Ou não há mercado, ou talvez não é tão bom. Empresários pensam na concorrência como "alguém como nós", mas não se esqueça que a concorrência é outro que cobre a mesma necessidade que agora eu quero cobrir. O espectro entre concorrente e substituto é muito grande, mas não tem que parar tudo  para estudá-la em toda a sua amplitude. Antes dos smartphones as pessoas se comunicavam igual. Um pouco mais lento, de outros modos, mas se comunicavam igual, de maneira diferente.
  4. "Nós apenas temos que conseguir 1% do mercado." Empresários costumam fazer a contagem regressiva do que devemos: olhar para o mercado real ou potencial e calcular quanto devemos chegar para atingir o ponto de equilíbrio. Esse número mágico é diretamente proporcional ao medo (ou inversamente proporcional a confiança) o que devemos fazer, o que justifica tudo nessa base. Mas não importa quanto pequeno é o número, o que nos diz o que podemos realmente alcançar? Mais uma vez mentir o número 1, e se em vez de 1% for 20%? Fazer estimativas financeiras com base na participação de mercado estimada, calculada como a diferença não é realista. A estimativa deve ser coerente com o plano de marketing e de acordo com o que está previsto para ser obtido com as ações a serem feitas. O pequeno número não é confiável, ganhar 1% do mercado brasileiro não é fácil ... E lembre-se, um investidor pode querer investir em um empreendimento que pretende ter 90% do mercado e não 1%.
  5. "A chave é ser o primeiro". É verdade, o que chega primeiro, chega melhor. Mas cuidado com os outros ao se mover mais rápido. Não é só chegar no mercado em primeiro lugar, mas para avançar em primeiro lugar. Os segundos muitas vezes aprendem com os erros do primeiro e incorpora suas boas idéias. Então, ser o primeiro é bom, mas continuar a ser o primeiro é muito melhor.

O empresário tem uma dupla tarefa: vender seu produto ou serviço quando for lançado e também vender o seu projeto para os investidores (ou outros interessados), para assim, obter os recursos necessários para levá-lo adiante. Ter uma paixão forte para empreender e depender de um projeto não significa não ver certas deficiências do produto ou da premissa do projeto. Não ver os pontos fracos não é nenhuma demonstração de paixão, isso é demonstrado ao superar os obstáculos e encontrar meios de contornar suas limitações.

Compartilhe este artigo

{{'LOADING_COMMENTS' | translate}}...
{{'NO_COMMENTS_YET' | translate}}
{{'TO_POST_A_COMMENT' | translate}}

Outros usuários também viram


Carregando...

Entre na ConnectAmericas

Ao criar um perfil na ConnectAmericas, você aceita os Termos e condições e Política de privacidade da Plataforma.

Insira o e-mail com o qual você se cadastrou
na ConnectAmericas para criar
uma nova senha.