Conecte-se Aprenda Finança

Comércio Exterior

9 dicas para criar uma boa embalagem e saber como transportá-la

Saiba como ter uma embalagem que atraia o consumidor e facilite sua venda, sem danificar o seu produto.

Compartilhe este artigo

A relação entre o produto e sua embalagem é tão estreita que a exige a realização de um planejamento conjunto, considerando aspectos mercadológicos, de custo e transporte. Vale lembrar que há legislações específicas que definem as características básicas das embalagens: elas devem ser cumpridas para que a empresa não esteja sujeita a sanções.

No entanto, não basta apenas saber acomodar produtos dentro de uma embalagem, é preciso conhecer também toda a sua cadeia de distribuição. Ao desenvolver o projeto de uma embalagem para transporte, temos que lembrar que a embalagem será carregada, armazenada em prateleiras, acomodada em pallets e nos diversos meios de transporte previstos no projeto da distribuição do produto e, muitas vezes, será até exposta nas lojas. Será, ainda, aberta por pessoal não especializado, pode sofrer avarias devido ao manuseio incorreto e o produto pode ser objeto de roubo. 

Para que a embalagem seja bem-sucedida na missão de auxiliar nas vendas e transportes dos produtos, é bom levar em conta algumas recomendações.

  • 1. É preciso diferenciar, chamar a atenção

A diferenciação pode ser feita pela forma, cor, tipo e grafismo da embalagem.

Curiosidade

Pesquisas demonstram que dois números são estratégicos em relação ao consumo dos produtos: 3 e 85.

Três segundos seria o tempo que o produto tem para atrair a atenção de quem está passando em frente a uma gôndola. Uma vez atraído, a chance de que o consumidor adquira o produto é de 85%.

 

  • 2. Identificar características 

O ponto de partida é identificar a característica do produto que deverá ser valorizada para despertar o interesse do consumidor. Se o produto for destinado a suprir necessidades básicas, como é o caso dos alimentos, devem-se destacar as características nutritivas e de higiene.

Se o consumidor vai adquirir o produto para presentear outra pessoa, a embalagem deve ser a mais bonita possível, pois o ato de presentear traz consigo a vontade de causar uma boa impressão. É preciso identificar o melhor material para acondicionar o produto, como vidro, metal, madeira, papelão ou plástico.

 

  • 3. Design da embalagem

O design da embalagem é fundamental! De nada adianta um produto ter qualidade se não tem um bom apelo de venda. Uma empresa especializada pode definir o design mais adequado, bem como um rótulo que sensibilize o consumidor. A embalagem deve ser de fácil uso e manuseio pelo consumidor.

 

  • 4. Código de barras

O código de barras é uma ferramenta de identificação e comunicação de produtos, serviços e localidades, com base em padrões internacionais reconhecidos por empresas no mundo inteiro. Impresso na própria embalagem ou em uma etiqueta aplicada ao produto, o código de barras proporciona uma linguagem comum entre os parceiros comerciais para a classificação de itens como tamanho, cor e tipo do produto.

O código de barras também é um aliado do empreendedor na gestão do negócio. Permite:

- O controle de estoque

- A rastreabilidade dos produtos

- O monitoramento das vendas, compras, margem de lucro, estoques, fluxo de caixa e outras variáveis

A GS1 Brasil, Associação Brasileira de Automação, é uma associação multissetorial sem fins lucrativos e a única organização responsável pela atribuição da licença para codificação de itens comerciais (código de barras) e atende de micro a grandes empresas e empreendedores individuais em todo o Brasil com soluções aplicadas mundialmente.

São apenas três passos para você obter o código de barras com padrão GS1 e uma série de vantagens, como cursos gratuitos e materiais de apoio para a melhoria do seu negócio, do controle do estoque até o caixa no varejo.

Acesse o site da associação ou entre em contato pelo telefone (11) 3068-6229 de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, e confira como fazer.

 

  • 5. Embalagem para transporte de produtos

O projeto de uma embalagem para transporte aplica-se para:

Proteção do produto

Não economize tempo ou dinheiro agora. Não é qualquer caixa ou outro tipo de embalagem que serve. O produto tem mesmo que chegar intacto ao destino. O custo dessas embalagens tem que ser considerado no projeto do produto. O seu cliente, loja ou distribuidor não aceitará embalagens amassadas ou produtos danificados.

Agentes externos

Pode ser que o ambiente em que a sua embalagem vai estar seja agressivo. Insistimos que você conheça toda a cadeia de distribuição, os veículos, os transbordos de carga e os espaços usados para estocagem. Alguns cuidados devem ser tomados para a especificação da embalagem para transporte:

Não pode ser pesada demais – o peso total deve ser adequado para ser carregada por uma pessoa

Quando os produtos são objeto de roubo sistêmico, pode-se codificar a identificação deles, sempre com o conhecimento do cliente

Podem ser usados fechamentos que inibam a abertura e o roubo do conteúdo

Podem ser dotadas de detalhes para facilitar a abertura no ponto de venda

 

  • 6. Peso

Se o produto tiver mais de 10 ou 12 kg, já se pode avaliar se sua embalagem será fácil de carregar.

Leve em consideração o formato. Faça testes. Você já notou como algumas embalagens leves são dificílimas de carregar?

 

  • 7. Codificação do conteúdo

Seja criativo se precisar mascarar o conteúdo para evitar roubos. Mas, de novo, lembre-se de por onde andará a sua embalagem! Algo nada valioso por aqui pode ser exatamente o que é procurado em outras regiões. Considere também que embalagens brancas ou de cores claras (protegidas por papel-filme transparente) chamam mais a atenção, por serem usadas para produtos nobres.

 

  • 8. Para inibir o roubo

Adesivos (colas) usados no fechamento ou mesmo grampos de metal servem para inibir “pequenos” roubos no trajeto. O seu cliente rejeitará as embalagens violadas na hora da descarga do material. Mas saiba que isto não impedirá os malfeitores mais criativos.

 

  • 9. Facilitando a abertura

Agora, já no ponto de venda, o ideal é que seu produto seja exposto rapidamente. Você pode facilitar a vida do repositor usando peças plásticas que se quebram para soltar a tampa de uma caixa, uma costura que se desfaz para abrir os sacos ou uma fita laminada junto com a capa do papelão para soltar a parte superior da caixa (tipo embalagem de biscoito).

Todos esses recursos devem ser bem projetados para que funcionem na hora da abertura da embalagem, mas não enfraqueçam a sua estrutura durante o transporte.

 

Compartilhe este artigo

{{'LOADING_COMMENTS' | translate}}...
{{'NO_COMMENTS_YET' | translate}}
{{'TO_POST_A_COMMENT' | translate}}

Outros usuários também viram


Carregando...

Entre na ConnectAmericas

Ao criar um perfil na ConnectAmericas, você aceita os Termos e condições e Política de privacidade da Plataforma.

Insira o e-mail com o qual você se cadastrou
na ConnectAmericas para criar
uma nova senha.