Connect Learn Finance
Service

O segmento de biodiesel - Rio Grande, líder nacional em produção

A indústria de biodiesel é nova no Rio Grande do Sul, porém gera um impacto expressivo e crescente na economia local. Suas atividades iniciaram em 2007. Desde então, foram investidos R$ 800 milhões na construção do atual parque de usinas e nas instalações que estão em fase de obras. 

Hoje, o Estado já é o maior produtor nacional (29,74% da produção nacional em 2012), com seis plantas do biocombustível. Juntas, em 2010, elas registraram produção de 862 milhões de litros, o que correspondeu a pouco mais de 45% da capacidade instalada no RS. Esse total abastece 100% da demanda estadual, com o excedente sendo destinado aos outros estados. 

Entre 2005 e 2012, a produção de biodiesel no país registrou um crescimento exponencial, evoluindo de 736 milhões de litros para 2,6 bilhões de litros. 

O setor de biodiesel contribui para o desenvolvimento do Estado com a geração de postos de trabalho, renda, atração de investimentos e a industrialização da soja. Inclui socialmente uma elevada parcela da população e expande culturas agrícolas alternativas. Além disso, promove o crescimento econômico aliado à sustentabilidade. 

A cadeia é responsável pela criação de mais de 1.500 empregos diretos e 6 mil indiretos no Rio Grande do Sul. Em torno de 38 mil famílias gaúchas estão vinculadas ao Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel – 30% ligadas às usinas e 70% às cooperativas. Desde o início dessa iniciativa, em 2007, a produção gaúcha de biodiesel já contribuiu com cerca de R$ 200 milhões em ICMS para o Estado.

Diferentemente do setor de biodiesel, a indústria de bioetanol não se desenvolveu no RS. Entretanto, tem potencial para gerar uma série de efeitos positivos na economia do Rio Grande do Sul. Trata-se de um segmento portador de futuro e potencial indutor de tecnologia e inovação. 

A atividade agrega valor à produção agrí- cola e estimula a diversificação de cultivos nas pequenas propriedades rurais. 

O segmento impulsiona a compra de bens de capital e fomenta a realização de pesquisas. Em 2010, a demanda nacional por bioetanol foi de 20,5 bilhões de litros, segundo a EMBRAPA, para diversas aplicações, mas principalmente como combustível para automóveis (hidratado ou anidro).

No RS, em 2010, foram produzidos 5,8 milhões de litros de etanol hidratado e consumidos 240,9 milhões de litros. Tradicionalmente, além da demanda para automóveis, um conjunto de outras atividades econômicas demanda bioetanol, tais como a indústria de bebidas e de fármacos. Além disso, com o início de produção em escala comercial de “polietileno verde” no pólo petroquí- mico de Triunfo, a demanda por bioetanol mais que dobrou, nos últimos dois anos, com estimativa de alcançar aproximadamente 1 bilhão de litros em 2012. 

A produção de bioetanol no RS concentrase em uma usina instalada no município de Porto Xavier, com 700 funcionários. Com modelo cooperativo, sua capacidade instalada de fabricação chega a 9 milhões de litros anuais. 

Em 2011 o Rio Grande do Sul abrigava também 18 microdestilarias de etanol em operação, além de outras 16 unidades em vias de instalação.

Provided by:

AGDI-RS

Country:

Brazil Brazil

Sign In to ConnectAmericas
Forgot your password?
Don't have an account? Register here
Enter the e-mail you used when you registered
for ConnectAmericas to create
a new password